História

Breve história da Queijeira da Quinta Velha

Desde a primeira metade do século XX que, na queijeira da Quinta Nova, mais conhecida como Quinta Velha, se fabrica o queijo de Azeitão e a manteiga de ovelha. Desde esses tempos, e até 1980, Alfredo Filipe era conhecido como o decano dos queijeiros de Azeitão. Era seu o saber artesanal da arte do fabrico do queijo, foi seu o mérito de tornar conhecida a Queijeira da Quinta Velha, pelos seus queijos amanteigados e pela sua produção artesanal. Nessa altura, produziam-se aqui, de Novembro a Junho, 6.300 queijos anuais, através do leite do rebanho próprio das ovelhas saloias.

Após a Revolução de 25 de Abril e num período em que a produção de queijo de Azeitão foi quase extinta, antes de existir qualquer região demarcada, esta foi uma das únicas três propriedades que manteve sempre a produção e serviu a imagem de um produto de características únicas, em que o ‘Tio Alfredo’ (queijeiro) representava o símbolo do saber da arte de fazer queijos, inúmeras vezes registado nos diversos meios de comunicação social.

A actividade desta queijeira, o rebanho, a produção leiteira e o método artesanal de fabrico de queijo foram alvo de diversas reportagens em vários meio de comunicação social impressos, radiofónicos e televisivos, tendo sido um dos agentes responsáveis pela passagem para o exterior da imagem de marca que mais tarde se viria a criar.

Aliás, é para nós ainda hoje motivo de orgulho que, a título informal, tenhamos contribuído para aquilo que hoje se chama Educação Ambiental.

Durante anos foram frequentes as camionetas que traziam dezenas de alunos para conhecerem o rebanho de ovelhas saloias e o processo de fabrico do queijo (ora explicado pelo Tio Alfredo, ora por um dos proprietários). Esta queijeira foi palco de visitas de estudo, de trabalhos de alunos de diferentes níveis de escolaridade e de visitas de gente já formada no ramo agrícola.

A mesma queijeira, o rebanho e a mesma propriedade serviram por inúmeras vezes, e a título completamente gratuito, de modelos fotográficos para publicações do próprio Parque Natural da Arrábida, sendo também a fotografia de marca associada e publicada na divulgação da ARCOLSA (da qual fazemos parte desde a sua fundação).

É engraçado verificar que, ao navegarmos na Internet e ao acedermos ao site oficial do Parque Natural da Arrábida, da Câmara Municipal de Palmela e ao site oficial nacional de participação na feira de Hannover em 2000, entre outros, algumas das fotografias que servem de suporte ao mesmos são da queijeira da Quinta Velha e do Tio Alfredo.

Em 1986, a Quinta Velha associou-se à ARCOLSA (Associação Regional dos Criadores de Ovinos Leiteiros da Serra da Arrábida).

A Quinta Velha passou também a fazer parte da entretanto criada Região Demarcada do Queijo de Azeitão e da Denominação de Origem Controlada - Queijo de Azeitão.

Em 1990 a queijeira da Quinta Velha foi (a par da de Camarate), visitada por diversas entidades na 1ª Mostra – Concurso do Queijo de Azeitão, efectivada em Palmela por iniciativa da ARCOLSA, da Região de Turismo da Costa Azul, e do Parque Natural da Arrábida.

Uma história única que não queremos perder. Contamos consigo!

Co-financiado por: